DANI CAMINHANTE

Um trekking pela Patagônia com uma mala de sete quilos foi o que me uniu a Dani mais uma vez.

Como ainda não tenho bastão de caminhada para seguir trilhas difíceis, minha participação nesta aventura foi acomodar roupas e equipamentos para 3 dias em uma pequena mala.

O primeiro passo foi escolher a mala. Optamos por usar uma impermeável e própria para expedição. Não estranhe a ausência de rodinhas, se for preciso, ela pode ser arrastada sem correr riscos de rasgar! O mais importante neste caso é suportar as intempéries, manter seco tudo o que estiver dentro e ser fácil para transportar durante o dia até os refúgios de montanha.

mala dani tranchesi trekking caminhante
Mala

Bem, como a variação de temperatura é grande ao longo do dia, o ideal é se vestir em camadas com camiseta e calça de segunda pele, calça impermeável, fleece e casaco. Camiseta dry-fit é uma ótima opção para os momentos quentes. Nos pés, botas especiais de trekking e meias térmicas grossas – aquecem e evitam bolhas. Usamos preto e cinza para compor a base das roupas e complementamos com peças coloridas para animar a caminhada. Gorros também são fundamentais para aquecer e complementar a produção. Os três looks montados podem ser mesclados para as noites nos refúgios.

look 1 dani tranchesi trekking patagônia kátia simone

look 2 dani tranchesi trekking patagônia kátia simone

look 3 dani tranchesi trekking patagônia kátia simone

Na mochila tem que ter, além de lanchinhos saudáveis e água, um anorak ou capa de chuva, capa de bota, boné, protetor solar, luvas, lanterna, toalha compacta de ultra-absorção, ao menos um saquinho impermeável para carregar algo que molhou, óculos escuros e cachecol para proteger do frio e do vento. Aqui tenho que abrir um parêntese para contar que a Dani usou seu lado rebelde para dizer que, custe o que custar, melhor, pese o que pesar, ela não abre mão de levar o tempo todo seu equipamento fotográfico bem juntinho. Ela não aceita correr o risco de perder a melhor foto.

mochila-dani-caminhante

mala trekking patagônia dani tranchesi kátia simone
Coube tudo
Para encarar expedições desta natureza não basta apenas ter preparo físico. Há que se ter muito desprendimento. E isso não falta para este grupo que se encontra pelas montanhas há mais de 10 anos!

Minha tarefa teria sido mais difícil se a Dani não fosse acostumada com viagens neste formato. Não foi o caso. Desta vez, eu mais aprendi que ensinei. E fiquei maluca para ter meu bastão de caminhante! Me aguarde.

-

Deixe uma Resposta

Seu email não será publicado.

Você pode usar esses HTML tags e artibutos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>