DUAS SEMANAS NO PERU: CONFIRA O ROTEIRO IDEAL

Menos de 5 horas de voo separam o Brasil do Peru, país que recentemente tornou-se um polo gastronômico, repleto de influências japonesas.

A posição geográfica do país, virado para o Oceano Pacífico, faz com que existam peixes de qualidade.

Segundo a lista San Pellegrino, responsável por avaliar restaurantes do mundo todo, o Peru está bem cotado, com três restaurantes entre os melhores do mundo.

Programar uma viagem ao Peru exige, antes de mais nada, um bom agente de viagens. Isso porque, apesar de pequeno, o país está localizado (em sua maior parte) em cima do Andes, com alturas entre 2800 m e 3800 m. A dica mais importante é começar se aclimatando. Nunca devemos começar a viagem por Cusco, que possui grandes altitudes. Não estar preparado pode resultar no chamado ‘mal da altitude’, causando falta de ar, dores de cabeça e náuseas.

O ideal é iniciar o passeio pelo Valle Sagrado, mais especificamente no hotel Sol y Luna, que está a 2800 m.
Hotel Sol y Luna Peru
Hotel Sol y Luna

Para quem quiser fazer as trilhas – que recomendo muito, aliás – pode fazer a Lares, pertencente ao Mountain Logdes of Peru. Este é um circuito de seis noites, começando em Cusco e terminando em Machu Pichu. Por exigir grande esforço, reitero a importância de adaptar-se as altitudes antes de iniciar a andança.

Para quem deseja aventurar-se ainda mais, aqui vai uma informação para ficar de olho: em maio inaugurará o primeiro trem de luxo com suítes da América Latina. Com capacidade para 68 passageiros, o Belmond Andean Explorer sairá de Cusco com destino a Puno e Arequipa, e agradará aqueles que prezam por conforto máximo nas viagens de trem.

Puno está localizada à beira do lago Chichicaca, um dos mais altos do mundo, a 3800 m de altitude. Por isso, a dica é deixá-lo para o fim da viagem.

Aproveite para conhecer as ilhas flutuantes em cima do lago, onde as pessoas moram desde a invasão dos espanhóis. A descoberta dessas ilhas foi feita em 1968 por Jacques Cousteau, que ao chegar até o lago encontrou as ilhas e as apresentou para o restante do mundo.

Lagos Flutuantes Peru Dani Tranchesi
Lagos Flutuantes

No meu roteiro ideal, encerro a viagem em Lima, conhecendo o restaurante Central, eleito mais de uma vez como o melhor restaurante da América Latina.

Ao todo, indico que este roteiro seja feito em 14 dias. Sempre dá para ficar mais ou menos, mas considero que este é o tempo perfeito.

Vale dizer que a voltagem do Peru é 220v e para entrar no país, é necessário tomar a vacina de febre amarela.

Até a próxima!

*Jan Neumark é dono da agência Viajan e colaborador do site, escrevendo sobre dicas e roteiros de viagens.

-

Deixe uma Resposta

Seu email não será publicado.

Você pode usar esses HTML tags e artibutos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>