MINHA MALA PARA SANTA LÚCIA

Depois de Miami, sigo para Santa Lúcia. A viagem é para mergulhar. Mas é também para relaxar um pouco na areia.

Na mala de mergulho não falta nada. Ela está sempre pronta e fechada para a próxima aventura. Nenhum equipamento fica de fora. Levo desde minhas nadadeiras até lanternas para o caso de surgir uma expedição noturna.

Mas o quê levar para usar antes e depois de me jogar ao mar? Foi aí que, outra vez, a consultora de moda Kátia Simone entrou para dar pitacos na minha mala. Desta vez com looks despretensiosos e coloridos que já estavam no meu closet.

A primeira descoberta foi um grito de liberdade: não preciso combinar o biquíni com a saída de praia! Ufa! Achava isso muito chato! Outra grande descoberta foi uma caixa de acessórios que não lembrava mais que existia. Lá encontramos os colares das virtudes, vindos da China e sem uso até então – ela os combinou com o vestido de linho branco que faz bonito em qualquer praia do mundo. Também encontramos pulseiras trazidas das andanças pela Índia – foram várias para a mala. Os acessórios fazem muita diferença na hora de valorizar uma produção. E eles ocupam pouco espaço.

Entre os garimpos descobertos em casa estava o vestido longo mexicano, todo bordado com flores coloridas, que será usado sobre um biquíni de estampa feita pela minha sobrinha. Mas, se precisar ir da areia para o restaurante, basta colocar o mesmo vestido com uma rasteirinha e algumas pulseiras que já estarei pronta.

Uma mala bem-feita não precisa ter muitas roupas, precisa de combinações versáteis.

1 comentário

Deixe uma Resposta

Seu email não será publicado.

Você pode usar esses HTML tags e artibutos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>