O TOUR PELAS MONTANHAS DO NEPAL

Hoje o dia foi diferente e inacreditável, um daqueles para ficar guardado na memória para sempre nos seus mínimos detalhes. Tive uma experiência única.

Sempre sonhei em ir a pé até o Base Camp do Everest e, apesar de parecer maluquice, acho um desafio viável e um programa histórico. Hoje fui de helicóptero ao Base Camp do Annapurna! E quase morri de felicidade.

Helicóptero no Base-Camp do Annapurna Nepal Viagens
Chegando de Helicóptero no Base Camp do Annapurna

Ontem, por acaso, enquanto caminhávamos, ouvimos um helicóptero pousando perto do lodge onde almoçamos. Susanna prontamente começou a mexer os pauzinhos para saber para onde ele ia e se podíamos fazer um voo. Nos explicaram que aquele era um helicóptero de resgate, mas, que também fazia passeios com turistas. Ficamos animadíssimas. Precisaríamos de três vôos, um sairia aquela tarde e dois hoje bem cedinho. Fizemos as divisões entre os grupos e concluímos que aquelas que voassem ontem não caminhariam a tarde e seriam levadas diretamente para o último lodge, em Dampus. Fiquei para o primeiro voo de hoje junto com a Denise, Paula e Susanna. Foi privilégio fazer essa aventura junto com amigas tão queridas!

Saímos de um gramado na frente de uma escola e assim que decolamos percebi que seria de tirar o fôlego.

Um voo de 10 minutos, entre algumas das mais altas montanhas do mundo, numa mistura de cores indescritível. As montanhas brancas de tanta neve e o céu daquele azul que mais parecia uma pintura.

De ponta cabeça no Base Camp Nepal Viagens Montanhas
De ponta cabeça no Base Camp

Pousamos num platôzinho no meio do acampamento-base, para aqueles alpinistas que desejam alcançar o cume do Annapurna. Ali é também o último lugar para chegar antes de precisar de equipamentos de escalada. Com as nossas botas de caminhada e nossas pernas chegaríamos até ali. Depois disso, só os craques das montanhas com suas cordas e picaretas. Andamos ao redor encantadas com aquele cenário e a força das montanhas. Olhamos uma pequena stupa budista cheia de bandeirinhas e bilhetes dos aventureiros que passaram por ali e agradeceram aos deuses por seus feitos.

Depois de meia hora de muita alegria lembramos que era hora de voltar pois mais quatro andarilhas estavam lá embaixo esperando a vez de voar.

Chamamos nosso piloto e lá fomos nós, numa volta que me fez lembrar o filme 007, com o helicóptero voando pertinho das montanhas. A cada curva ficávamos sem fôlego!

Enquanto esperávamos as últimas quatro fazerem o voo, ainda deu tempo para mais uma aula de yôga com um professor bem desanimado (acho que hoje ele estava com preguiça). E assim que elas voltaram, também encantadas com o passeio, saímos em direção ao ônibus, que nos levaria de volta a Pokara, onde pegaríamos o mesmo bimotor da Yeti Air para o caos de Kathmandu. A distância entre nós e ele era de uma hora, numa grande decida.

Dessa forma maravilhosa acabou nosso trekking nas montanhas encantadas do Nepal. Esse povo sorridente e acolhedor com seus deuses, que possui lendas e histórias, montanhas gigantes e o céu do azul mais intenso que já. Tudo que vivemos ficará pra sempre guardado na memória e no coração dessas andarilhas sonhadoras.

This post is also available in: Inglês

-

Deixe uma Resposta

Seu email não será publicado.

Você pode usar esses HTML tags e artibutos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>