ÚLTIMO DIA EM HONG KONG

Para finalizarmos nossa estadia na China, fomos conhecer a segunda maior estátua de Buddha do mundo.

Chegar até lá é, por si só, uma aventura, já que é necessário pegar um bondinho com o chão de vidro. A estátua é realmente grandiosa e me lembrou o Cristo Redentor, pois parece abençoar toda a região. Achei incrível e adorei ver a peregrinação de tantas pessoas por ali, em busca de bênçãos ou simplesmente para agradecer.

O Buddha em Hong Kong Dani Tranchesi
O Buddha
Se a ideia é chegar bem perto do Buddha, prepare as pernas para os 200 degraus a serem desbravados.

De lá, fomos para um vilarejo de pescadores, onde pudemos sentir a vida pulsando ao longo dos mercados e dos muitos barcos, em um entra e sai sem fim.

Na vila de pescadores Dani Tranchesi Hong Kong
Na vila de pescadores

Pegamos um barquinho colorido, bem turístico, para ver os golfinhos cor-de-rosa. Nunca tinha ouvido falar deles, e não é que eles existem mesmo? São lindos, aliás.

Para completar nosso último dia, fomos para uma aula de culinária, onde aprendemos a fazer o Dim Sums, uma espécie de pastelzinho típico chinês, que pode ser frito ou cozido no vapor. Foi uma experiência sensacional, apesar das dificuldades na hora de enrolá-los. Bernardino até que se saiu bem, mas confesso que sofri bastante.

Aprendendo a fazer Dim Sums Dani Tranchesi Hong Kong
Aprendendo a fazer Dim Sums

Assim terminamos nossos passeios em Hong Kong. Foram cinco dias intensos, pois tentamos aproveitar ao máximo tudo que a cidade tinha a nos oferecer, das paisagens, passando pela comida, até a vida cotidiana do povo local.

Até a próxima!

-

Deixe uma Resposta

Seu email não será publicado.

Você pode usar esses HTML tags e artibutos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>