ÚLTIMO DIA NA TURQUIA

Ontem ficamos no trem até as 13h30, o que nunca é bom já que o almoço é sofrível e sempre igual.

A salada picadinha que nunca como, sopa, arroz bem grudadinho, mas salvador, alguma carne estranha e batata, normalmente frita. Para mim tudo certo, já que me viro com o que tem, mas tem gente que reclama. O problema é que, diplomaticamente falando, não se pode haver restaurante russo no trem – o que, dizem, é bem melhor em termos de decoração e comida. A Turquia faz questão de contratar cozinheiros nativos. Adoro a comida turca, mas essa realmente não é das melhores.

Desembarcamos em um clima chuvoso, nublado e frio, porém nossa paisagem era um lago maravilhoso, rodeado por montanhas nevadas. Pegamos um barco e fomos visitar uma ilha bem no meio desse lago. Senti como se estivesse no livro “O morro dos ventos uivantes”, de tão estranhamente lindo que era. Antigamente, essa ilha pertencia a Armênia. Hoje, resta apenas penhascos e uma igreja bem antiga. A chuva parou e o sol apareceu, junto ao um céu de azul intenso. As montanhas nevadas, o lago sereno, o frio impiedoso, os penhascos e, para completar, o som incessante de milhares de gaivotas. Isso tudo me fez voar para dentro do livro!

Vista da Ilha Turquia
Vista da Ilha

Foi, sem dúvida, a paisagem mais linda que vi na Turquia, e perfeita para o nosso último dia. Voltamos para o ônibus e fomos dormir no Grand Hotel de Van,  que fica em uma pequena cidade rodeada por essas montanhas e pelo lago gigante.

Amanhã passaremos o dia todo no trem, primeiro saindo da Turquia e depois entrando no Irã. Estamos ansiosas e animadas com essa nova etapa da nossa aventura.

 

This post is also available in: Inglês

-

Deixe uma Resposta

Seu email não será publicado.

Você pode usar esses HTML tags e artibutos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>