UM DIA EM MACAU

Nosso programa de hoje exige passaporte, por mais incrível que pareça.

Assim como Hong Kong pertenceu durante muitos anos à Inglaterra, Macau foi colônia Portuguesa durante mais de 440 anos e em 1999, transformou-se em uma região administrativa especial da China. Ambos os lugares estão dentro da China de uma forma independente.

Macau possui regras próprias de governo e, consequentemente, de imigração. Por isso, ao pegar um barco, precisamos mostrar o passaporte e assim seria se quiséssemos ir a qualquer outra parte da China.

Macau e Hong Kong possuem diferenças claras se comparadas a outras partes do país. Enquanto no restante da China a língua é o Mandarim, nestes lugares o que predomina é o Cantonês. Em Macau, apesar de poucas pessoas ainda falarem Português, existe uma lei que obriga a sinalização pública ser na nossa língua.

Depois de uma hora em um barco confortável, chegamos a Macau. Fomos conhecer o museu local, as ruínas de uma importante igreja e andamos sem destino pelas ruas. É bem engraçado a mistura de casas portuguesas com o comércio chinês.

Um dia em Macau Arquitetura Lojas China Dani Tranchesi Viagens

Um dia em Macau Arquitetura Lojas China Dani Tranchesi Viagens

Na hora do almoço, paramos em um restaurante cantonês de comida portuguesa e quase brasileira – me lembrou a culinária de Concórdia, cidade de onde vim.

À tarde, fomos olhar a cidade do alto de uma torre e depois conhecemos um típico cassino local. Macau hoje é considerada a Las Vegas do oriente, movimentando uma enorme quantidade de dinheiro com seus cassinos reluzentes.

Um dia em Macau China Dani Tranchesi Viagens

No fim da tarde, lá fomos nós de novo para a imigração e pegamos o mesmo barco para voltarmos. Tivemos um dia diferente e delicioso. Se você estiver por aqui, vale a pena fazer este passeio!

-

Deixe uma Resposta

Seu email não será publicado.

Você pode usar esses HTML tags e artibutos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>